História do Estádio do Palmeiras – Arena Palmeiras

Antigo Palestra Itália

O Estádio Palestra Itália, também conhecido popularmente como Estádio Parque Antártica, foi um estádio de futebol, localizado na zona oeste da cidade de São Paulo.

Em julho de 2009, deixou de receber partidas de futebol e demais eventos, em virtude do início das reformas para transformar o local em uma moderna arena multiuso, o Allianz Parque. O estádio possuía capacidade para 27.650 pessoas.

A Companhia Antarctica

No final do século XIX, a Companhia Antarctica Paulista criou o Parque da Antarctica, um espaço de lazer de trezentos mil metros quadrados para seus funcionários, próximo a fábrica, contendo uma vasta área verde (com um pequeno lago, coreto e bosques), parque infantil, restaurantes, choperia e áreas para a prática esportiva (incluindo pistas de atletismo, quadra de tênis e um dos primeiros campos de futebol da cidade). Com a chegada e expansão do futebol, esse espaço passou a ser cada vez mais requisitado e a empresa aproveitou a oportunidade ao alugar o campo de futebol para pequenos clubes da cidade no início do século XX.

Além de se tornar um dos principais campos para a prática do futebol, o parque era referência para uma série de eventos ao ar livre, como exibições de boxe e até corrida de automóveis. Em julho de 1908, sediou a primeira corrida automobilística disputada na América do Sul, o “Circuito de Itapecerica”, que terminou com vitória do paulista Sílvio Penteado.

Em 3 de maio de 1902, o Mackenzie College venceu por 2 a 1 o Germânia (atual Esporte Clube Pinheiros) no Parque da Antarctica, dando início ao primeiro campeonato oficial de futebol do Brasil, o Campeonato Paulista.

Palestra Itália

No início, o Germânia (clube de origem alemã) era o mandante do estádio. Entretanto, com o início da Primeira Guerra Mundial o Germânia diminuiu suas atividades sociais, e repassou seu contrato de locação ao América F.C., um clube paulistano (extinto) de pequena expressão. Com dificuldades financeiras, o América passou a sublocar alguns horários para outras equipes.

Foi assim que em 1917 o Palestra Itália passou mandar seus jogos no Parque da Antarctica. O contrato previa que o América utilizaria o campo nas terças, quintas, sábados, domingos e feriados na parte da manhã, enquanto o Palestra Itália utilizaria nos mesmos no período da tarde, tanto para treinos como para as partidas oficiais.

Em 1920, o Palestra Itália (com o apoio da Cia Matarazzo) efetuou a compra do campo de futebol e de grande parte do terreno do Parque da Antarctica, pelo valor total de 500 contos de réis (algo em torno de R$600.000,00), sendo 250 contos à vista, e outras duas parcelas anuais de 125 contos cada, além de um contráto perpétuo de venda dos produtos da Companhia Antarctica nas dependências do estádio.

Em cerca de 13 anos o clube investiu em grandes reformas – incluindo a reforma da arquibancada geral, ainda de madeira, e a construção de uma imponente tribuna social, reservada aos associados do clube – constrói grandes arquibancadas em concreto armado e em 13 de Agosto de 1933, na partida Palestra Itália 6 x 0 Bangu (tendo Gabardo assinalado o primeiro gol), pelo Torneio Rio-São Paulo, inaugura o “Stadium Palestra Itália”: maior e mais moderno estádio de futebol do país (na época), com capacidade para 30 mil torcedores. Neste mesmo período, a sede social do clube foi transferida do centro da cidade para o entorno do estádio.

No dia 18 de Agosto de 1976, o Palmeiras conquistou seu 18º título Campeonato Paulista ao vencer o XV de Piracicaba por 1 a 0 na partida final, atingindo um público recorde de cerca de 40 mil pessoas (35.913 pagantes).

Fotos do Antigo Palestra Itália

Foto Estádio Palestra Itália em 1922

Estádio Palestra Itália em 1922

palestra-italia-x-corinthians-1920

Partida entre Palestra Itália e Corinthians realizada nos anos 1920

Imagem do Palestra Itália em 1936

Foto do Palestra Itália em 1936

Imagem aérea do estádio Palestra Itália.

Imagem aérea do estádio Palestra Itália nos anos 90.

Arena Palmeiras (Allianz Parque)

A transformação do antigo Estádio Palestra Itália em arena é fruto de um acordo assinado entre o Palmeiras e a empresa WTorre Properties/Arenas, do Grupo WTorre. A WTorre administrará o local durante 30 anos, sendo que o Palmeiras terá participação integral nas receitas de partidas de futebol durante o período.

De acordo com o contrato firmado entre Palmeiras e WTorre, todas as despesas para a utilização da arena, como as de água, luz, segurança, limpeza, seguros, manutenções do gramado, ficarão a cargo da empreendedora.

Com a contratação de uma empresa especialista para gerir o complexo, será repassado ao clube um percentual crescente das receitas com patrocínios, camarotes e shows, entre outros. Ao final desse período de 30 anos, o Palmeiras integralizará todo o empreendimento, encerrando-se o acordo com a construtora.

Inauguração

Arena PalmeirasA inauguração oficial do Allianz Parque foi realizada no dia 19 de novembro de 2014, no jogo entre Palmeiras e Sport, pela trigésima quinta rodada do Campeonato Brasileiro de 2014. A equipe paulistana foi derrotada por 2 a 0 pelo clube pernambucano. O primeiro gol oficial da arena foi marcado pelo atacante Ananias, do Sport, aos 31 minutos do segundo tempo.

A partida também entrou para a história porque atingiu marcas expressivas relacionadas à renda do jogo. Além do maior volume de dinheiro arrecadado pelo Palmeiras em toda sua história num confronto de futebol, o evento teve a maior arrecadação de todos os tempos entre os jogos dos grandes times do Estado de São Paulo realizados na capital paulista. Com o público de 35.939 pagantes, o alviverde obteve renda bruta de R$ 4.915.885,00 e receita líquida de R$ 3.623.234,67

Primeiro título (Copa do Brasil 2015)

O primeiro título do Allianz Parque foi conquistado pelo Palmeiras no dia 2 de dezembro de 2015, na primeira finalíssima de um campeonato disputado na arena. Na ocasião, a equipe alviverde derrotou o Santos e chegou ao tricampeonato da Copa do Brasil. No tempo normal, precisando reverter o placar da primeira partida, quando havia perdido por 1 a 0, a equipe paulistana venceu o clube do litoral paulista por 2 a 1, com dois gols do atacante Dudu para o lado festa pameiras campeão da copa do Brasil 2015alviverde, marcados aos 11 e aos 39 minutos do segundo tempo, e um gol marcado pelo centroavante Ricardo Oliveira para a equipe santista, aos 41 minutos da mesma etapa.

Com a igualdade no saldo de gols nas finais, a disputa do título foi para os pênaltis e foi vencida pelo Palmeiras por 4 a 3. O grande nome da decisão foi o goleiro Fernando Prass, que defendeu um dos pênaltis cobrados pelo Santos e converteu a cobrança decisiva que deu o título para a equipe alviverde, num momento histórico para o clube. Antes de Prass, cobraram pelo Palmeiras o lateral Zé Roberto, o atacante Rafael Marques, que teve o pênalti defendido pelo goleiro santista Vanderlei, além do zagueiro Jackson e do atacante Cristaldo. Pelo Santos, o atacante Marquinhos Gabriel chutou para fora, o zagueiro Gustavo Henrique teve a cobrança defendida pelo goleiro alviverde e os jogadores Geovânio, Lucas Lima e Ricardo Oliveira converteram.

Na ocasião, a final entre Palmeiras e Santos também quebrou dois recordes do Allianz Parque: o maior público pagante da história da arena até aquele momento e a maior arrecadação com bilheteria em jogos do Palmeiras no novo estádio. O público foi de 39 660 espectadores e a renda totalizou R$ 5 336 631,25.

Com a conquista, o Palmeiras se qualificou automaticamente para a fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2016, além de ratificar sua condição de equipe brasileira com mais títulos nacionais, chegando a 12 conquistas (8 brasileiros, 3 copas do Brasil e 1 Copa dos Campeões)

Último título (Campeonato Brasileiro 2016)

Festa brasileiro de 2016Diante de um público recorde de 40.986 torcedores no Allianz Parque, o Palmeiras bateu a Chapecoense por 1 a 0 no dia 27 de novembro de 2016 e garantiu seu nono título do Campeonato Brasileiro, uma conquista que não vinha desde 1994.

Um simples empate diante da Chapecoense garantiria o título nacional, mas o Palmeiras não se acomodou com a situação e encarou a partida com muita seriedade desde o apito inicial. Aos 26 minutos, em cobrança de falta pela direita, Dudu rolou para Zé Roberto, que mandou rasteiro para a entrada da área. Gabriel Jesus fez corta-luz, Moisés tocou de letra, e Fabiano mandou por cobertura.

A emoção tomou conta do estádio aos 44 minutos, quando Jailson deixou o gramado muito festejado pelos companheiros de equipe e pela torcida alviverde. Fernando Prass, ídolo palmeirense, entrou em ser lugar para defender o gol palestrino nos minutos finais antes do grito de campeão. Após o jogo, coube ao capitão Dudu erguer a taça e confirmar a festa do primeiro ENEACAMPEÃO BRASILEIRO da história!

Com a conquista, o Palmeiras se classificou para a fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2017, além de se tornar o maior ganhador de campeonatos brasileiros, somando 9 no total.

Jogando em seu estádio a equipe palmeirense foi dona da segunda melhor campanha como mandante, o que mostrou a importância que a Arena Palmeiras teve para a conquista desse título.

Seleção Brasileira

O Allianz Parque já foi palco da Seleção Brasileira. A arena alviverde recebeu a equipe nacional no dia 7 de junho de 2015, num amistoso preparativo para a Copa América de 2015 contra o México. Foi a primeira partida disputada pela seleção verde e amarela no Brasil desde a Copa do Mundo de 2014. O jogo terminou com vitória do time nacional por 2 a 0, com gols de Philippe Coutinho e Diego Tardelli.

A partida entre Brasil e México também marcou o recorde de renda da história do Allianz Parque. Para um público pagante de 34.659 pessoas, o valor bruto arrecadado foi de R$ 6.737.030,00

Implementações

Em 12 de março de 2013, a WTorre anunciou a aquisição de 64 câmeras de segurança. Os equipamentos, avaliados em 15 milhões de reais, são de alta definição e capazes de realizar reconhecimento facial de todos os visitantes. A tecnologia, utilizada em locais de grande movimentação, como por exemplo, em aeroportos da Europa e dos Estados Unidos, é capaz de identificar imediatamente comportamentos avaliados como fora do padrão, ou seja, brigas, atos de vandalismo e até uma pessoa passando mal. O software de segurança pode arquivar imagens de rostos para compará-los posteriormente, até mesmo de pessoas utilizando bonés e óculos.

No início de 2014, a WTorre anunciou a aquisição de dois telões de alta definição para serem instalados na parte interna do estádio. Com custo aproximado de R$ 7 milhões, os equipamentos têm formato de 13,44m x 7,68m, cada um com área superior a 103m². Os telões estão instalados nas extremidades dos gramados, atrás dos gols, permitindo a exibição de qualquer conteúdo sem a necessidade de adaptação. Os modelos de led possuem estrutura branca e fogem dos padrões convencionais, com uma resolução (de 16mm) 20% superior em relação aos demais do mercado. Desta forma, em todos os assentos do estádio há uma boa visualização das imagens.

Uma solução desenvolvida pelo arquiteto Edo Rocha, responsável pelo projeto da arena, foi a de revestir toda a fachada com aço inox perfurado que causa o efeito optical art, com espaços vazados que lembram um cesto de vime. A utilização do inox garante o melhor aproveitamento da ventilação e iluminação natural, além de funcionar como elemento de controle solar passivo, a fim de moderar a temperatura no ambiente. Há a importância de o material ser de alta durabilidade e baixa manutenção e limpeza, já que se lava com a chuva. Além disso, a utilização do inox tem efeito de publicidade exterior e serve para impactar tanto os frequentadores da arena quanto os transeuntes.

Já a cobertura da arena é totalmente integrada à fachada, isto é, sem as pilastras de sustentação, aumentando o espaço para circulação dos visitantes. Verticalmente são 33 metros entre o piso e o teto do estádio, que protege 100% das arquibancadas. Desenvolvidas pela Usiminas, a estrutura metálica tubular e as telhas zipadas termoacústicas de 10 cm de espessura propiciam sensações mais agradáveis ao público, reduzindo em até 2 °C a temperatura entre o nível do campo e as cadeiras superiores, além de reduzir significativamente os ruídos provindos da área externa do complexo.

Em torno do campo, foi instalada uma cobertura transparente de policarbonato que garante o máximo de insolação ao gramado. O Estádio Aviva, em Dublin, e o Etihad Stadium, em Manchester, são alguns dos poucos no mundo que usam essa tecnologia.

Com relação à questão ambiental, o Allianz Parque conta com um sistema de captação de água da chuva que cair sobre a área da cobertura do estádio, que tem 23 mil metros quadrados. Assim, toda a água captada será reutilizada dentro das dependências da arena, evitando que as galerias pluviais da região sejam sobrecarregadas em dias de chuva.

De acordo com a construtora, na arena serão instaladas mais de 500 antenas de telefonia móvel para assegurar a eficiência na transmissão de dados. A infraestrutura de comunicação dará cobertura para as redes de Wi-Fi, 3G e 4G das principais empresas de telefonia móvel que operam no país.

Acessibilidade

De acordo com a construtora, na arena há 889 espaços para cadeirantes, 778 assentos para pessoas com mobilidade reduzida, 122 assentos para obesos, 63 banheiros acessíveis e exclusivos, distribuídos em todos os setores das arquibancadas inferior, superior e camarotes. Além disso, há 15 elevadores, 26 escadas rolantes, rampas de acesso e bilheterias especiais.

No estacionamento, há 49 para portadores de necessidades especiais (PNEs) localizadas próximas aos elevadores e 78 vagas para idosos. Assim, as adaptações superam as recomendações da norma brasileira e também da Fifa

Premiações

Em 3 de setembro de 2014, o projeto arquitetônico da arena recebeu o Prêmio Master na 11ª edição do Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa, considerada uma das mais importantes premiações de Arquitetura da América Latina. A arena recebeu também o Prêmio de Destaque Esportivo, na categoria “Obra Realizada”. A premiação foi baseada em dois critérios de avaliação: a qualidade arquitetônica e os benefícios do empreendimento para o entorno, observando diversos setores de atividade, como saúde, educação, esporte, hotelaria, escritórios, etc.

Em 12 de novembro de 2014, a construção da arena foi premiada na categoria “Gerenciamento Ambiental do Entorno da Obra” durante o 3º Prêmio Seconci de Saúde e Segurança do Trabalho, organizado pelo Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo. Entre as medidas de gerenciamento ambiental implantadas pela construtora, destacam-se a elaboração de um plano de gestão de resíduos, a prevenção da erosão, da contaminação do solo e da água, o reuso da água e a diminuição dos níveis de ruídos das obras. Cerca de 90% de todos os resíduos gerados foram reutilizados ou reciclados, sendo 16 mil metros cúbicos usados na própria obra. O antigo gramado do Estádio Palestra Itália foi doado à Prefeitura de São Paulo para ser reutilizado em uma praça pública.